Carros mais antigos ou perto de sair de linha costumam trazer mais equipamentos e custar (bem) menos do que os recém-lançados

Comprar um carro recém-lançado tem suas vantagens, mas dificilmente uma delas será o custo/benefício. Carros que viveram seu auge no passado ou estão perto de acabar tendem a levar a melhor nisso.

O Volkswagen Fox mudou pela última vez em 2014 (apesar de manter a mesma plataforma desde 2003) e ficará em linha pelo menos até 2021.

Hoje, parte de R$ 50.990 na versão Connect 1.6 (104 cv) e tem de série sensor de estacionamento, central multimídia de 6,5 polegadas, rodas de liga leve aro 15 e piloto automático. Um Gol 1.0 completo não é tão equipado e custa mais, R$ 51.495.

O Renault Duster ganha nova geração no Brasil em 2020, mas o atual ainda é interessante.

 

A versão Expression 1.6 (128 cv) sai por R$ 66.590, com ar-condicionado, direção eletro-hidráulica, rádio, Isofix e vidros elétricos – com câmbio CVT, sobe para R$ 72.090, mas soma ESP. Já um Hyundai Creta Attitude 1.6 custa R$ 78.990.

Baseada no Agile, que saiu de linha há cinco anos, a Chevrolet Montana 1.4 (99 cv) segue à venda com ar de imortalidade.

Com cabine mais espaçosa que as cabines simples convencionais, parte dos R$ 54.290, ou R$ 57.890 com ar-condicionado – contra R$ 69.990 da Fiat Strada Hard Working CE.

Economia supera os 20%

Modelo Rival Equivalente Diferença
Chevrolet Montana 1.4 LS – R$ 57.890 Strada Hard Working CE – R$ 69.990 20,9%
VW Fox Connect 1.6 – R$ 50.990 Chevrolet Onix 1.4 LTZ – R$ 59.190 13,9%
Renault Duster Expression 1.6 – R$ 66.590 Hyundai Creta Attitude 1.6 – R$ 78.990 15,7%

Créditos:
Texto de Henrique Rodriguez
Publicado em 12 ago 2019, 15h03 em Quatro Rodas.
Leia a matéria original aqui: https://quatrorodas.abril.com.br/noticias/mercado-quando-vale-a-pena-comprar-um-carro-perto-de-sair-de-linha